Archive for the ‘memórias’ Category

Benfica, o fim!

Abril 23, 2009

Esta é a melhor fotografia da história do Benfica! Era este o meu Benfica! Apesar de não ter assistido aos incríveis anos 60, cresci a vêr um Benfica ganhador.

Ganhar era normal; perder era caír no ridículo. Tão normal era ganhar, que o Benfica o fazia como ninguém; sempre com um enorme respeito pelo adversário.

Jogar no Benfica era topo de carreira. Ir à Luz, ao Domingo à tarde, era uma festa. Ir à Luz, às quartas à noite, era um espanto. Jogar na Luz, como adversário, era um inferno.

Mas o Benfica de hoje é vulgar e fanfarrão… e já nem sabe ganhar (ndr: rídicula a cena da Taça da Liga). Hoje, a derrota é normal. Ou pelo menos, aceite sem qualquer problema.

Jogar na Luz é uma festa… para os adversários. Das romarias de Domingo à tarde, passámos para os desertos de Domingos e Segundas à noite. 

Grande parte dos dirigentes nem adeptos do clube são. As Assembleias Gerais foram substituídas por Assembleias de Accionistas. Mais importante, os campeonatos foram substituídos por 3ºs lugares! O Benfica de hoje é uma marca, nada mais. 

O meu Benfica acabou!

PS: Xoaninha, desculpa mais este post sobre futebol… AMO-TE 🙂 A

Anúncios

Das memórias VII – Os dias da rádio: Porto – Benfica

Fevereiro 6, 2009

Em vinte e tal anos de futebol, foram poucas as vezes que vi o Benfica ir ganhar às Antas. A última foi com dois golos de Nuno Gomes há 2 ou 3 épocas atrás… mas a vitória que mais me marcou foi há quase 20 anos. Em 1991.

Estávamos a poucas jornadas do fim e o Porto recebia o Benfica sabendo que com uma vitória passava para a frente. O Benfica de Eriksson jogava nas Antas sabendo que uma vitória lhe garantia o título.

Esse Benfica de Eriksson viveu, como muitos outros, um clima de terror nas Antas. Não me esqueço que a equipa foi obrigada a equipar-se nos corredores de acesso ao relvado, porque o balneário tinha um cheiro tóxico…

Juntamente com os meus irmão e primos, segui esse jogo pela rádio – eram muito raros os jogos transmitidos na televisão – na sala de casa da minha Avó.

Os nervos eram mais que muitos. Ouvir os jogo na rádio exponencia os nervos… O Benfica lá ia aguentando a pressão do Porto na primeira parte. 0 – 0.

Na segunda parte, parecia que os minutos não passavam. Não me esqueço da ansiedade na cara do meu irmão mais velho N. e do primo P. N. e P. puxavam de cigarro atrás de cigarro e criticavam cada passe mal feito por jogadores do Benfica… como se tivessem a vêr o que se passava. Lembro-me que a vinte minutos do fim, N. mudou o rádio de posto e posição… para dar sorte! O certo é que pouco depois o Benfica marcava!!!! (lembro-me de P. pedir para esperar que o senhor da rádio acabasse de gritar o golo para ter a certeza que não era anulado:)!!!) A festa foi tão grande que na altura achei que toda as pessoas de Portugal nos tinham ouvido! 2 ou 3 minutos depois, o Benfica marcava outra vez e a sala da minha Avó parecia, literalmente, que ia abaixo. Já nada nos tiraria aquele título!!! Foi o último título do Benfica nos dias da rádio.

Entretanto, sempre achei que o toque no rádio do meu irmão N. tinha sido um toque de Midas!!!!! Durante meses, continuei a pedir-lhe para mudar o rádio de posto e posição quando as coisas estavam complicadas para o Benfica… LOL 

Desse dia, lembro-me ainda que durante a viagem para Lisboa, na Auto-Estrada, as buzinadelas eram constantes. Tive a sensação que toda a gente era do Benfica!!!

Domingo, o Benfica joga nas Antas e o mais provável é mesmo perder. Para ganhar na casa do Porto, é preciso muito mais do que jogar mais futebol que o Porto… já agora, aqui fica um link para as actuações em jogos do Benfica do árbitro escolhido para o jogo de Domingo …

🙂 A

Das memórias V – Yo no credo en Brujas, pero que las hay, las hay…

Outubro 21, 2008

Uma das primeiras vezes que me lembro de ir ao Estádio da Luz foi para ver os quartos-de-final da Taça dos Campeões Europeus de 1987/88. Benfica – Anderlecht. 2-0.

Além da vitória, ficou-me dessa noite uma tal de “maldição de Guttmann”!!! Nunca tinha ouvido falar de tal senhor… mas nessa noite, naquele terceiro anel, o nome de Guttmann e a sua suposta maldição corria de boca em boca. Perguntei ao N. que história era aquela e ele lá me explicou. Bella Gutmann tinha sido o treinador que tinha levado o Benfica à conquista de 2 Taças dos Campeões Europeus. Ao deixar o clube, o húngaro terá afirmado que, sem ele, o Benfica levaria 100 anos até ser novamente campeão europeu.

Fiquei tranquilo! Afinal, estavamos a caminho das meias-finais e posteriormente de Estugarda (cidade onde decorreria a final)… mas só fiquei tranquilo até ao falhanço de Veloso contra o PSV (ndr: Veloso falhou o penalty decisivo no desempate). Aí, de repente, lembrei-me de tudo aquilo que tinha ouvido naquela noite no Terceiro Anel e quando, dois anos depois, o Benfica se qualificou novamente para a final da TCE , a minha confiança para esse jogo tinha atingido níveis lastimáveis. Só me lembrava da maldição… E não é que perdemos (Milan 1 – Benfica 0) outra vez…

Será que teremos de esperar por 2063 para ver o Benfica campeão europeu?

🙂 A

Man. United – Benfica, “Conta-me como foi!”

Julho 21, 2008

Como já confidenciei n’o Mundo do Sol, nasci em 1980… tendo falhado as grandes conquistas europeias do Benfica da década de 60.

O Benfica de 60 ganhou 2 taças dos Campeões Europeus (TCE)… mas esse Benfica de 60 também teve um lado amargo, 3 finais perdidas (n.d.r.: falhei as grandes conquistas, mas o lado amargo do Benfica já o vivi, Estugarda e Viena, PSV e AC Milan, 1988 e 1990, duas finais perdidas da TCE…)! Duas delas com os grandes clubes de Milão, AC e Inter, e outra com o Manchester United, em Londres.

Sei isto tudo! O que só torna mais estranho o que vou contar a seguir.

Há uns dias, na RTP 1, estava a dar mais um episódio do “Conta-me como foi”. Passava-se em Maio de 68 e dois temas dividiam as atenções do país: a revolução estudantil em França e a presença do Benfica na final da TCE, em Londres.

Sabia que o Benfica tinha perdido essa final por 4-1 (após prolongamento) com o Manchester United. Mas nem por isso deixei de acreditar que seria possível inverter a história. Senti o nervoso miudinho dos grandes jogos. A verdade é que o “Conta-me como foi” estava-me a levar até àquele grande Benfica. Inexplicavelmente tive uma fé inabalável que o Benfica ia ganhar aquele jogo.

Mas não. A história não se alterou. O Benfica perdeu mesmo. E hoje, a verdade é que a equipa já não é a mesma. A qualidade também não. Mas a fé… essa continua!

🙂 A

Das memórias III – o dia em que o futebol me fez chorar

Maio 22, 2008

Ontem, ao espreitar, distante e sem som, (torcendo pelos azuis porque não gosto daqueles encarnados…) a final da Liga dos campeões, lembrei-me de outra final. A final de Estugarda, em 1988. Há 20 anos! PSV – Benfica!!!

Lembro-me como se fosse hoje, que nesse dia, da escola não fui para casa. Fui para o escritório da minha mãe, onde uma quantidade impressionante de gente se tinha juntado para ver o grande jogo. Da escola para lá, fui no carro a ouvir rádio. E ainda hoje me ecoa o separador que a Rádio Comercial (acho eu…) tinha preparado para o dia: Benfiiiica, Benfiiiiiica, BEN-FI-CA!!!

O jogo, ao que me lembro, foi uma tremenda seca… mas nestes dias e nestes jogos, isso não interessa nada! Adrenalina ao máximo e fé na nossa equipa.

E como se fosse hoje, lembro-me de um jogador do Benfica (Vando ou Tueba, quase de certeza), já no prolongamento, surgir isolado e falhar… o escritório ia indo abaixo!

Depois de 2 horas sem golos, penalties! Lembro-me de várias pessoas nem olharem para a televisão! Eu, firme, nem desviei o olhar. Nem por um momento! “O Pacheco vai falhar”, pensei. Mas olhei e a bola entrou. Entrou como todas as outras. Até que chegou o sexto penalty do Benfica. Ninguém queria marcar. Veloso, o capitão, pegou na bola. Correu devagarinho e atirou denunciado. O guarda-redes do PSV defendeu. O Benfica acabara de perder a Taça.

Nesse momento, chorei. Não aguentei! Acalmei-me! E prometi não chorar mais por causa de futebol. So far, so good…

🙂 A

PS: Este é daqueles vídeos que não tenho “coragem” para postar aqui… mas podem espreitar aqui.

 

Boatos?

Abril 17, 2008

Para um benfiquista falar de futebol hoje, é preciso alguma coragem :)!!! Parabéns ao Sporting (à Xoaninha, em especial 😉 A) pela vitória de ontem, mas hoje o que me traz aqui é um último apelo à dignidade benfiquista!

Tenho ouvido uns zum-zuns preocupantes… nada mais que boatos, espero…

Paulo Sousa no Benfica, nunca mais! Jogos perdem-se, a dignidade não… assim espero!

Não nos esquecemos…

Das memórias – os 7 – 1

Fevereiro 28, 2008

Fim-de-semana de Sporting-Benfica… e a memória é mesmo assim… no estado em que está o Benfica, lembrei-me de um dos jogos mais dificeis e duros da sua história, os 7-1 de Alvalade de 1986/87! Tinha 6 anos, mas lembro-me tão bem… dia de chuva, estava em casa. Ouvi o relato! Do princípio ao fim! E sempre com a estúpida esperança de uma recuperação! Até ao último minuto! É (Era) assim! Irracional. Mas hoje não ouviria… aos 3-1, teria desligado o rádio! Porquê? Porque aquela era uma equipa de campeões (como efectivamente o foram no fim dessa mesma época) e esta… bem… é melhor parar por aqui… 

😉 A